Reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, em 1987, Brasília é considerada um marco da arquitetura e do urbanismo modernista do Brasil. Elaborada pelo arquiteto Lúcio Costa e fundada em 21 de abril de 1960, a capital brasileira é a única cidade contemporânea do mundo a receber o título e ter mais de 112 km² em área tombada.

Apesar de uma nova capital para o Brasil ter sido pensada desde a época do império, Brasília foi planejada e construída durante o governo do então presidente Juscelino Kubitschek, cuja ambição principal era a modernização do país em 5 anos, daí o lema de governo conhecido como “50 anos em cinco”. O objetivo de transferir a capital da região Sudeste e litorânea para o Centro-Oeste e Cerrado brasileiro foi incentivar a ocupação do interior do país, que era pouco popularizado e subdesenvolvido industrialmente, em uma tentativa de equilibrar a distribuição de riquezas do Brasil.

Assim, em 1956, o projeto que viria a se tornar Brasília foi o dos arquitetos e urbanistas Lúcio Costa, que planejou as ruas e áreas públicas do Plano Piloto, e Oscar Niemeyer, que projetou os prédios principais da cidade. O desenho principal da cidade lembra a forma de um avião, cujo Lúcio explicou, em sua carta de apresentação, que a inspiração para o Projeto Piloto “nasceu do gesto primário de quem assinala um lugar ou dele toma posse: dois eixos cruzando-se em ângulo reto, ou seja, o próprio sinal da cruz”.

Brasília foi concebida como uma cidade modelo, centrada em um Eixo Monumental, onde se localiza o centro administrativo do país, e duas Asas (Sul e Norte), que abrigam a população local. As asas foram subdivididas em superquadras, cuja concepção é de integração entre os espaços privados e públicos. Ou seja, as áreas térreas dos prédios residenciais são abertas e públicas, de modo a permitir a livre circulação de pessoas que transitam pelo local, e não apenas dos moradores.

Os principais pontos atrativos da cidade se localizam no Complexo Cultural da República, onde podem ser visitados os prédios governamentais e as principais referências da arquitetura moderna, projetadas por Oscar Niemeyer, como a Catedral Metropolitana de Brasília, o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Palácio da Alvorada. Outros monumentos importantes que não podem deixar de ser visitados nesta cidade incluem o Palácio do Itamaraty, a Ponte JK, o Supremo Tribunal Federal, o Panteão da Pátria, a Igreja Nossa Senhora de Fátima, o Memorial dos Povos Indígenas e o Museu Nacional Honestino Guimarães. Enfim, são muitos os locais para você visitar e se deleitar com a história do nosso país.

Se você ainda não conhece nossa bela capital, fique atento, pois sempre tem passagens aéreas em promoção. Os melhores meses para visitar Brasília são abril a junho, quando as chuvas intensas já reduziram, e o clima ainda não está muito seco; os fins de semana são os melhores dias para visitas, pois, por não ser considerada a primeira opção em um destino turístico, a capital brasileira fica mais vazia, e assim, é possível hospedagens em hotéis muito bons, com preços mais em conta.

Fonte: Caroline Raiser